Posts

Workshop sobre a Tecnologia de Produção de Etanol

CTBE vai apresentar avanços obtidos em pesquisas e debater pontos de melhoria de eficiência e redução de custos na produção do E1G/2G.
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Data: 17 e 18 de novembro de 2015.
Local: Auditório do CTBE/CNPEM – Campinas, São Paulo.
Inscrições: pages.cnpem.br/tecnologia-etanol/

O Brasil tem atualmente uma capacidade instalada de produção de E2G de cerca de 140 milhões de litros por ano. Entretanto, tal volume é considerado pequeno quando comparado à demanda interna de combustíveis, suprida atualmente com volumes relevantes de gasolina importada. Além disso, as indústrias de E2G em operação no País enfrentam problemas técnicos significativos para colocar as fábricas em máxima produção.

O “1º Workshop sobre o Estado da Arte da Tecnologia de Produção de Etanol: de olho na segunda geração” vai apresentar avanços tecnológicos obtidos nas pesquisas desenvolvidas no Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) aos setores industriais e de P&D na área, visando a implementação e o aprimoramento de plantas industriais de E2G novas ou existentes. Debates com empresas e especialistas do setor vão enumerar pontos de melhoria de eficiência e redução de custos na produção do E2G, a fim de elucidar potenciais novas linhas de pesquisa do CTBE para suprir as demandas apontadas. Espera-se que tais medidas ajudem a alterar o atual paradigma tecno-econômico da indústria de cana-de-açúcar, resgatando sua competitividade.

Inscrições podem ser realizadas no site até o dia 13 de novembro de 2015. O custo da taxa de inscrição é de R$ 170,00.

Mais informações: pages.cnpem.br/tecnologia-etanol/

Programa Bolsas de Verão convoca universitários da América Latina

Estudantes selecionados para participar do Programa passarão os dois meses de férias de verão dedicados à pesquisa nos Laboratórios Nacionais que integram o CNPEM.
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), que contempla o CTBE, realizará em janeiro e fevereiro de 2016 o 25º Programa Bolsas de Verão, destinado a universitários matriculados em instituições da América Latina e Caribe. Informações completas sobre o Programa estão em pages.cnpem.br/bolsasdeveraoAs inscrições serão recebidas a partir de 21 de setembro.

Os estudantes selecionados para participar do Programa passarão os dois meses de férias de verão dedicados a um projeto científico ou tecnológico, com orientação de pesquisadores dos Laboratórios Nacionais que integram o CNPEM, em Campinas, São Paulo. Serão oferecidos aos estudantes passagem de ida-volta, hospedagem, alimentação, dentre outros benefícios.

O objetivo do Programa Bolsas de Verão é contribuir para a formação de recursos humanos qualificados, destinados a atuar em Ciência, Tecnologia e Inovação.

Sobre o CNPEM

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Localizado em Campinas-SP, possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial.

O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador brasileiro, de terceira geração, para análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.

Publicação Research and Outcomes

CTBE lança relatório Ações e Resultados 2014

Em sua segunda edição, documento aborda principais ações e resultados de pesquisa do Laboratório no último ano.
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Publicação Research and Outcomes

O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) acaba de publicar a segunda edição do seu principal documento de divulgação institucional, o Research and Outcomes 2014 (Ações e Resultados 2014, na tradução para o português). A publicação foi produzida e entregue ao Comitê Científico do Laboratório, que realizou a sua reunião bienal de avaliação das atividades durante os dias 18 e 20 de agosto de 2015.

As 26 páginas da publicação, que pode ser acessada neste link, contemplam os principais feitos do CTBE em 2014, assim como instalações de C&T, destaques de pesquisa, profissionais líderes, publicações, parcerias e inovação, eventos e programas de capacitação.

Carlos Eduardo Vaz Rossell, diretor interino do CTBE em 2014, comenta na publicação alguns pontos chave para a evolução do Laboratório no último ano. Dentre eles, está a reorganização da estrutura programática e organizacional, que simplificou processos administrativos e forneceu uma visão mais integrada das linhas e projetos de pesquisa. “Essa nova organização nos permite concentrar esforços na P&D relacionada a etanol e química verde, principalmente eliminando limitações na segunda geração de etanol”, explica Rossell.

Parcerias e primeiras instalações abertas

O ano de 2014 também foi importante para o CTBE expandir parcerias com o setor industrial. Somente um projeto em colaboração com as empresas Dow e DSM, financiado com recursos do PAISS (BNDES/Finep), receberá um investimento de cerca R$ 25 milhões ao longo de três anos. Cerca de 41% do orçamento do Laboratório em 2014 foi proveniente de projetos em parceria com a indústria.

A publicação ressalta o progresso do CTBE ao abrir suas duas primeiras instalações a pesquisadores externos, cumprindo sua função como laboratório nacional. As facilities abertas foram a Planta Piloto para Desenvolvimento de Processo (PPDP) e os Laboratórios para Desenvolvimento de Processos (LDP). Em 2015, outras cinco instalações foram abertas a usuários (clique aqui para conhecer todas as instalações abertas do CTBE).

O Laboratório também promoveu três eventos internacionais no último ano. Um sobre a ciência voltada ao etanol de segunda geração, outro sobre fisiologia de cana-de-açúcar e um terceiro sobre biologia sintética. Também foram organizados uma série de treinamentos, com destaque para um curso sobre a tecnologia de produção de etanol de segunda geração ministrado a 40 professores de ensino profissionalizante na área de cana e etanol. Para este curso foram produzidos vídeos que mostram como o etanol 2G é produzido em laboratório. Os vídeos desta série estão disponíveis no canal do CTBE no YouTube: youtube.com/BioetanolCTBE.

Clique aqui para fazer o download da publicação (em inglês) ou leia a versão web abaixo:

Veja outras publicações do CTBE na página do Laboratório no ISSUU.

Facility Laboratório Metabolômica CTBE

CTBE abrirá cinco novas instalações a usuários externos em 2015

Quatro delas já recebem propostas de pesquisa, a quinta estará disponível no segundo semestre desse ano.
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn
Facility Laboratório Metabolômica CTBE

O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) abrirá cinco novas instalações de pesquisa e desenvolvimento tecnológico para usuários externos do Brasil e do exterior em 2015. Desde o início desse ano, os seguintes laboratórios já recebem propostas de pesquisa via Portal de Usuários do CNPEM: Metabolômica, Sequenciamento de Ácidos Nucleicos em Larga Escala, Análises de Macromoléculas e Desenvolvimento de Bioprocessos. Além deles, a Biorrefinaria Virtual de Cana-de-açúcar (BVC) estará disponível à comunidade científica a partir do segundo semestre.

Essas facilities se somam à Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos (PPDP) e aos Laboratórios de Desenvolvimento de Processos que executam pesquisas de equipes externas ao CTBE desde 2014.

A coordenadora de planejamento e avaliação do CTBE, Maria Juliana Calderan Rodrigues, explica que essa ação contribui para consolidar o CTBE como laboratório nacional de renome na área de bioenergia. “Oficializamos a abertura dessas instalações a usuários externos por se tratar de espaços científicos que abrigam equipamentos de pesquisa sofisticados, como sequenciadores de DNA e cromatógrafos, e que já tinham uma alta procura pela comunidade”, explica Rodrigues. A ação também contribui para o cumprimento das metas de pesquisa acordadas pelo CNPEM, via contrato de gestão, junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Novas instalações de P&D abertas à comunidade de pesquisa

As novas instalações do CTBE abertas à pesquisa externa operam em fluxo contínuo de submissão de propostas ao longo do ano. Para submeter uma pesquisa, o profissional interessado deve possuir doutorado completo e cadastrar as informações solicitadas no Portal de Usuários do CNPEM. Toda proposta tem a sua viabilidade de execução e relevância avaliada por um comitê do CTBE destacado para essa função.

Conheça abaixo as principais características das instalações de pesquisa do CTBE disponíveis a usuários externos:

Laboratório de Metabolômica – analisa a composição química de células, com o intuito de obter uma visão geral das funções celulares, uma vez quereflete diretamente o seu estado fisiológico. É considerada uma ferramenta poderosa por sua capacidade de caracterizar e diferenciar genótipos e fenótipos.

Laboratorio de Sequenciamento de Ácidos Nucleicos em Larga Escala – dois sofisticados sequenciadores, um HiSeq 2500 e um MiSeq, estão disponíveis.

Laboratórios de Desenvolvimento de Bioprocessos – realizam processos de biotransformação baseados em microrganismos ou enzimas e de recuperação de biomoléculas da escala micro até a laboratorial. Seu foco principal de pesquisa é o desenvolvimento de processos de produção de etanol (primeira e segunda geração), blocos químicos e outros metabólitos de interesse industrial a partir da cana-de-açúcar.

Laboratório de Análises de Macromoléculas – dedica-se à caracterização bioquímica e biofísica de macromoléculas, relacionadas, principalmente à hidrólise de biomassas vegetais e à cadeia de produção de biocombustíveis.

Biorrefinaria Virtual de Cana-de-açúcar (BVC) – trata-se de uma ferramenta de simulação computacional que possibilita avaliar tecnicamente a integração de novas tecnologias na cadeia produtiva de cana, nos três eixos da sustentabilidade: econômico, ambiental e social.

As novas instalações se somam às abertas em 2014, que são:

Laboratórios de Desenvolvimento de Processos – são equipados com reatores capazes de processar a biomassa lignocelulósica e seus derivados para a conversão em etanol celulósico, intermediários químicos e outros produtos. Uma ampla gama de processos físico-químicos são estudados, com vistas à validação de processos e ao desenvolvimento de novas rotas com perspectivas de transferência de tecnologias.

Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos – é utilizada para verificar e demonstrar, em escala semi-industrial (300 litros), robustez e estabilidade de rotas tecnológicas de produção de etanol e outros compostos derivados de biomassa.