Posts

Marcos Cintra e Ronaldo Camargo da FINEP visitam laboratórios do CNPEM

Instituição abrigará novo acelerador Sirius, considerado a mais complexa infraestrutura científica do Brasil
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Texto cedido pelo canal Fique On/FINEP

O presidente da Finep, Marcos Cintra, o diretor Financeiro e Controladoria, Ronaldo Camargo, e o gerente do Departamento Administrativo de São Paulo (DASP), Oswaldo Massambani, visitaram, na segunda-feira (20), o Complexo de Laboratórios do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), onde conheceram os principais projetos desenvolvidos no campus, incluindo o novo acelerador de elétrons brasileiro, o Sirius.

O CNPEM, uma organização social qualificada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), possui quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial: o Laboratório Nacional de LuzSíncrotron (LNLS), o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano).

Gonçalo Pereira (e), diretor do CTBE, apresenta o Laboratório a Ronaldo Camargo, Marcos Cintra e Oswaldo Massambani

Desde dezembro de 2014, o LNLS está construindo o Sirius, o novo acelerador de elétrons brasileiro, considerado a maior e mais complexa infraestrutura científica do País. A nova fonte de luz síncrotron brasileira, de quarta geração, possibilitará a análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos. A Finep, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), tem apoiado o desenvolvimento do projeto por meio de editais, que totalizam quase R$ 100 milhões. A previsão é que o Sirius seja inaugurado em 2018.

O Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) é conhecido por desenvolver pesquisas em áreas de fronteira da Biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE), por sua vez, investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.

Sobre o CTBE

O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O CTBE desenvolve pesquisa e inovação de nível internacional na área de biomassa voltada à produção de energia, em especial do etanol de cana-de-açúcar. O Laboratório possui um ambiente singular no País para o escalonamento de tecnologias, visando a transferência de processos da bancada científica para o setor produtivo, no qual se destaca a Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos (PPDP).