Posts

CTBE lança cartilha de Bioeletricidade, explora cana-energia e revê desafios tecnológicos durante Ethanol Summit

Programação do Summit teve Gonçalo Pereira, Diretor do CTBE e Henrique Franco, Coordenador da Divisão Agrícola, em dois painéis
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Erik Nardini (texto em atualização)

SÃO PAULO – Gonçalo Pereira e Henrique Franco, respectivamente Diretor e Coordenador da Divisão Agrícola do CTBE participaram nesta terça, 27, do Ethanol Summit 2017. Pereira se apresentou no Painel ‘Perspectivas para 2030: o papel do etanol celulósico’, enquanto Franco se dedicou ao palco ‘Mais produtividade e menor custo: caminhos para crescer’.

A cana-energia não dominou a fala do diretor do Laboratório, mas ficou claro que este é um programa que tem recebido muita atenção do CTBE. Pereira apresentou justificativas que devem ampliar a adoção da variedade pelo setor sucroenergético.

Pereira leva a sério a cana-energia cujos avanços têm sido expressivos e podem dar origem à produção de açúcar de mesa (Foto: Erik Nardini/CTBE/CNPEM)

Franco se dedicou a explorar os grandes gargalos tecnológicos para a produção agrícola, destacando a enorme quantidade de dinheiro que se perde com pisoteios, perdas visíveis e invisíveis. “Somando os problemas de pisoteio, arranquio e soqueiras o prejuízo ultrapassa os R$ 4,5 bilhões. É muito dinheiro”, analisa.

Os dados, produzidos pela divisão Agrícola do CTBE, são inéditos e revelam que grandes passos devem ser dados em direção à melhoria de práticas agrícolas. “Esse valor [de R$ 4,5 bi], que pode ser considerado de certa forma conservador, poderia ser investido em inovação, por exemplo”, conta Franco. “A critério de exemplo seria possível construirmos seis usinas com esse montante”, avalia.

Franco (segundo da D para E): gargalos tecnológicos na produção agrícola de cana-de-açúcar (Foto: Erik Nardini/CTBE/CNPEM)

Cartilha de Bioeletricidade é lançada durante evento

A Cartilha de Bioeletricidade, produzida como parte das entregas do Projeto SUCRE (Sugarcane Renewable Electricity), foi lançada durante o Ethanol Summit 2017. O documento trata do Marco Regulatório do setor elétrico brasileiro para a venda de energia gerada a partir da biomassa da cana-de-açúcar pelas Usinas do Setor Sucroenergético, com destaque à utilização da palha para geração de adicionais de eletricidade.

FAÇA O DOWNLOAD DA CARTILHA AQUI

“É um documento de vital importância para determinar os próximos passos da comercialização de energia e o SUCRE encabeça essa iniciativa, trabalhando lado a lado com os usinas parceiras interessadas em produzir energia a partir de biomassa”, destaca Gonçalo Pereira, diretor do CTBE.

A Cartilha foi produzida em conjunto com a empresa de consultoria do setor elétrico Excelência Energética e tem por objetivo informar sobre o modelo regulatório do sistema elétrico nacional, mostrar como a energia da biomassa se situa neste sistema, indicar as principais barreiras para a expansão da geração à biomassa, e propor alternativas para superar estas barreiras.

A iniciativa é do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologiado Bioetanol (CTBE), um dos quatro Laboratórios Nacionais que integram o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social qualificada pelo Ministério da Ciência,Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O projeto é financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente e gerido pelo Programadas Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Ethanol Summit oficializa participação do CTBE em dois painéis

Gonçalo Pereira, diretor do Laboratório, e Henrique Franco, da Divisão Agrícola, farão palestras dia 27 de junho
Print this pageEmail this to someoneShare on Google+Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Erik Nardini Medina (*)

O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia (CTBE) está confirmado para a edição de 10 anos do Ethanol Summit, marcado para os dias 26 e 27 de junho, no WTC, em São Paulo (SP). Gonçalo Pereira, diretor do CTBE, e Henrique Franco, coordenador da Divisão Agrícola, se apresentarão respectivamente nos painéis 4 e 10, no dia 27 de junho, no evento que reunirá empresários, autoridades governamentais, especialistas de renome internacional e representantes de ONGs para debater temas estratégicos dos mais diversos segmentos da cadeia sucroenergética.

Gonçalo Pereira (Diretor do CTBE)
Painel “Perspectivas para 2030: O Papel do Etanol Celulósico”
Data e hora: dia 27 de junho, a partir das 10h45

Henrique J. Franco (Divisão Agrícola)
Painel “Mais Produtividade e Menor Custo: Caminhos para Crescer”
Data e hora: dia 27 de junho, a partir das 14h

Com o mote “Um Salto para 2030”, o evento focará os desafios relacionados à expansão da produção de etanol e bioeletricidade no Brasil. Aspectos econômicos, sociais e ambientais orientarão as discussões, tendo como pano de fundo as metas de desenvolvimento sustentável apresentadas pelo País no Acordo mundial do Clima.

O Ethanol Summit, realizado a cada dois anos pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), vem se destacando desde 2007 como um dos maiores congressos sobre produtos e energias renováveis derivados da cana, e um dos principais do gênero no mundo. Na edição deste ano os organizadores esperam reunir mais de 2.500 pessoas.

Última edição foi em 2015; publico esperado para 2017 deve superar 2500 pessoas (Divulgação/Ethanol Summit)

No primeiro dia do evento, após a cerimônia de abertura, haverá duas plenárias: “O Setor Sucroenergético e a Retomada Econômica” e “2030 – Perspectivas para a Cana-de-Açúcar”. No segundo dia, além das plenárias “Os Biocombustíveis e o Futuro da Mobilidade” e “Etanol no Mundo: Demanda, Produção e Perspectivas”, serão realizados 10 painéis sobre assuntos específicos da indústria canavieira, conforme abaixo:

30 Anos de Bioeletricidade: Realizando o Potencial
• Cana e Inovação: Novos Usos e Produtos
• Abastecimento e Meio-Ambiente: O Papel do Etanol
• Perspectivas para 2030: O Papel do Etanol Celulósico
• Infraestrutura no Setor Sucroenergético: Investindo para Crescer
• Perspectivas para 2030: Estratégias para o Etanol
• Avanços Tecnológicos e a Imagem Global do Agronegócio Brasileiro
• Biocombustíveis na Aviação: Solução de Baixo Carbono
• A Expansão do Etanol na América Latina
• Mais Produtividade e Menor Custo: Caminhos para Crescer

A exemplo da edição de 2015, o Summit 2017 será comandado pelo jornalista William Waack e realizado em um formato inovador. Todos os debates serão promovidos numa arena 360º, onde cada congressista recebe um equipamento que lhe permite selecionar o áudio da apresentação que deseja acompanhar, sem que haja interferência de outros conteúdos simultâneos. O evento deste ano é organizado pelas empresas MCI e MediaLink Comunicação Corporativa. Mais detalhes sobre a programação serão divulgados em breve na página www.ethanolsummit.com.br.

Inscrições e informações

Todas as inscrições devem ser feitas exclusivamente por meio do site www.ethanolsummit.com.br. Já os pagamentos podem ser efetuados no sistema online com os cartões de crédito Visa e MasterCard ou por boleto bancário.

(*) Com informações do MCI e MediaLink Comunicação