Eventos

Pesquisador do CTBE fará palestra em evento sobre sustentabilidade do solo

Entre os dias 26 e 28 de fevereiro o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) promove o Workshop on Soil Sustainability in a Bio-Based Society. Segundo a organização, o objetivo do Workshop é debater conceitos de sustentabilidade do solo que envolvam substâncias químicas, físicas e aspectos biológicos relacionados às culturas orientadas à produção de bioenergia, com foco na cana-de-açúcar. As inscrições são gratuitas, limitadas e podem ser feitas neste endereço.

O pesquisador João Luís Nunes Carvalho, do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) – que integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) – apresenta, no primeiro dia, a palestra Straw Management Options in a Changing Industry (Opções de gerenciamento de palha em uma indústria em mudança, em português). Carvalho atua no Projeto SUCRE (Sugarcane Renewable Electricity), que tem como principal objetivo aumentar a produção de eletricidade com baixa emissão de gases de efeito estufa na indústria de cana-de-açúcar, por meio do uso da palha produzida durante a colheita. Dentre os pontos que serão tratados na palestra do pesquisador estão os resultados, obtidos até 2017, dos impactos agronômicos e ambientais da palha no campo, vertente do SUCRE liderada por Carvalho.

SAIBA MAIS SOBRE OS RESULTADOS DO SUCRE

O evento é promovido pelo IAC, Netherlands Institute of Ecology (NIOO), Centre for Soil Ecology e pelo BE-Basic. O Workshop será conduzido em inglês e não contará com tradução simultânea.

Serviço
Workshop on Soil Sustainability in a Bio-Based Society
IAC: Av. Barão de Itapura, 1481 – Campinas
Informações: (19) 2137 – 0766 ou hcantrll@gmail.com (Heitor Cantarella) | Site do evento

Com informações: Agência FAPESP e IAC

 

Sobre o Projeto SUCRE
O Projeto SUCRE (Sugarcane Renewable Electricity) tem como objetivo principal aumentar a produção de eletricidade com baixa emissão de gases de efeito estufa (GEE) na indústria de cana-de-açúcar, por meio do uso da palha produzida durante a colheita. A iniciativa é promovida pelo Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), que integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), atuando junto a usinas parceiras – que utilizam palha na geração de eletricidade – para desenvolver soluções que elevem tal geração à plenitude da tecnologia disponível. O projeto é financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente e gerido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Com início em junho de 2015, serão ao todo cinco anos de projeto e um investimento de cerca de US$ 67,5 milhões, sendo US$ 55,8 milhões a parcela estimada de investimentos pelas usinas (grande parte já realizada com a instalação de estações de limpeza a seco, reforma ou compra de caldeiras, turbogeradores, enfardadoras e outros equipamentos). O objetivo principal do projeto é vencer os desafios tecnológicos no campo e na indústria de forma a possibilitar um maior aproveitamento da palha da cana-de-açúcar na co-geração de eletricidade. Para tanto, a equipe trabalha na identificação e na solução dos problemas que impedem as usinas parceiras de gerarem eletricidade de forma plena e sistemática.

Sobre o CTBE
O Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE) integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O CTBE desenvolve pesquisa e inovação de nível internacional na área de biomassa voltada à produção de energia, em especial do etanol de cana-de-açúcar. O Laboratório possui um ambiente singular no País para o escalonamento de tecnologias, visando a transferência de processos da bancada científica para o setor produtivo, no qual se destaca a Planta Piloto para Desenvolvimento de Processos (PPDP).

Sobre o CNPEM
O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) é uma organização social supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Localizado em Campinas-SP, compreende quatro laboratórios referências mundiais e abertos à comunidade científica e empresarial. O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) opera a única fonte de luz Síncrotron da América Latina e está, nesse momento, construindo Sirius, o novo acelerador de elétrons brasileiro de quarta geração, dedicado à análise dos mais diversos tipos de materiais, orgânicos e inorgânicos; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) desenvolve pesquisas em áreas de fronteira da biociência, com foco em biotecnologia e fármacos; o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia de Bioetanol (CTBE) investiga novas tecnologias para a produção de etanol celulósico; e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano) realiza pesquisas com materiais avançados, com grande potencial econômico para o país.
Os quatro Laboratórios têm, ainda, projetos próprios de pesquisa e participam da agenda transversal de investigação coordenada pelo CNPEM, que articula instalações e competências científicas em torno de temas estratégicos.